Qual desses gerentes você é, funcional ou gaivota?

 

Dentro da empresa podem existir vários tipos de gestores. Os que dão mais atenção para a equipe e aquele que não mostra interesse no que está acontecendo.

Já conseguimos saber qual deles você deve ser, mas você sabe o que difere os dois?

É por isso que são separados entre “gerente gaivota” e “gerente funcional”. Saiba a diferença deles e veja qual deles vocês está sendo com a sua equipe.

Gerente gaivota

Muitas vezes passamos por uma situação bem comum dentro dos escritórios de trabalho: a ausência do gestor, gerente ou o supervisor geral da equipe.

O famoso gerente gaivota.

É aquela situação em que, em meio a um problema interno que uma equipe tenta resolver, o chefe, totalmente pro fora da situação, tenta se juntar a equipe a fim de promover soluções e conselhos que, hipoteticamente, deveriam servir para sua equipe, mas que não passa de alguém fazendo barulho e, em seguida, desaparece.

O problema geralmente é esse, uma pessoa que pode ser considerada de fora do “time” querer entrar, tomar frente e opinar sem o menor fundamento apenas por que tem a posição superior.

É claro que ele tenta ouvir a equipe pra se atualizar e tomar nota dos fatos, mas se uma equipe não conseguiu resolver um determinado problema, será que uma pessoa sozinha que costuma parecer estar de passeio vai conseguir resolver o problema ou dar conselhos inteligentes ou, no mínimo, fundamentados?

Provavelmente não.

Na verdade, muitas vezes eles pioram a posição de seus colaboradores, gerando stress, raiva e perda de tempo para aqueles que realmente precisavam da ajuda deles.

E isso não é ruim apenas para o setor em que se insere a equipe, é ruim para uma empresa inteira.

Com a falta de uma gestão ideal (considerando apenas o fator “gerente ausente”), uma equipe pode deixar de produzir um desempenho satisfatório para alcançar um quadro totalmente irregular diante da visão empresarial.

Tendo como resultado quedas elevadas nos lucros.

Esse assunto é interessante, pois não precisamos citar exemplos de casos famosos ou qualquer outra coisa.

Se pararmos pra pensar, todos nós temos um momento gerente gaivota, aquele momento em que não damos muita atenção para algo ou, simplesmente, funcionamos no automático.

Por exemplo aquela conversa que temos com nossos amigos em que apenas balançamos a cabeça sem prestar a mínima atenção e, quando percebemos, somos surpreendidos com algo que, até então, parecíamos ter concordado que aconteceria. É a famosa presença de espírito.

Gerente funcional

O gerente funcional é o contrário do gerente gaiovata.

Ele toma medidas para resolver os pobrlemas. Medidas essas que não são segredo para ninguém.

A única coisa que precisa ser feito é estabelecer que você (gerente/gestor/supervisor) carrega de fato esse cargo e, por isso, precisa agir como tal.

De início, fazer parte literal da equipe é primordial. Seja participativo, escute os membros da equipe e leve realmente suas sugestões em consideração, sofra “quebrando cabeça” junto a eles, busque respostas.

Dessa forma, você vai não apenas “vestir a camisa” como também ganhar o respeito da sua equipe, será visto como um a mais no time e, além de tudo, estará por dentro do que acontece e precisa na sua equipe.

Outra atitude fundamental é a questão organizacional. Quando se tem um roteiro antecipado e estudado para seguir, as chances de que tudo dê certo são muito maiores.

Organizar com antecedência tarefas e funções de maneira inteligente, seja lá qual for sua ferramenta, agendas, softwares etc. Tudo isso trará bons frutos para a equipe, para você e para a empresa toda.

A falta de praticidade é como se sua equipe andasse com uma pedra amarrada aos pés.

Tente resolver toda a burocracia que pode, de fato, ser eliminada do seu trabalho. Facilite a movimentação dos seus colaboradores. Objetivo e praticidade sempre.

Fazendo essas coisas, você chegará a outro fator importante, o feedback. Levando em consideração a posição do gerente gaivota, como ele poderia passar um feedback para seus colaboradores se nem ele sabe o que está acontecendo na empresa?

É por isso que, depois dessas dicas, podemos então ter um feedback completo, com qualidade.

Considerações finais

É muito importante para o desempenho de uma empresa, que toda uma equipe esteja inteirada sobre resultados e metas estipuladas.

Deixá-los a par de tudo, como tudo está correndo, o que está bem ou o que deve ser mudado. Agora você tem fundamentos para agir.

A ideia que queremos passar aqui é que você seja extremamente funcional para sua equipe/empresa e, por isso, tudo que estamos falando terá como resultado a sua integração literal dentro da equipe. Ou seja, acabamos de entender o que precisa ser feito para fazer parte, ser aceito e ter o respeito ideal dentro da equipe que um gestor realmente precisa ter.

Adotando essas ideias você abandona o posto de gaivota e passa a ser alguém com cargo sério e que, com certeza, aumentará a produtividade e os lucros da empresa.

Gabriel é CEO da Auvo e já ajudou mais de 1500 empresas a aumentarem a produtividade da sua equipe de campo. Além disso gerenciou equipes externas durante 7 anos e sabe bem as dores de um gestor.

Related Post

Otimização do tempo: aumente as visitas em campo c...
105
A otimização do tempo é um dos maiores desafios no dia a dia do trabalho. Quando alguém pergunta sobre a rotina, geralmente respondemos: “ah, tô na co...
5 erros que podem derrubar qualquer gestor
407
Liderar equipes não é fácil. Trabalhar com líderes despreparados pode ser ainda pior. Existem tantos artigos mostrando como bons líderes devem se comp...
07 atitudes diárias que deixarão sua mente mais pr...
141
Buscar conhecimento é sempre a melhor maneira de evoluir tanto mental quanto socioculturalmente e existem atitudes diárias que deixam a mente mais pro...
Como calcular o ROI da sua equipe externa?
312
Vou começar esse post com uma pergunta não muito simples: Você sabe o que é ROI, como calculá-lo e onde isso te ajuda com a gestão da sua equipe exter...