Como liderar colaboradores que não estão no mesmo local que você o tempo todo? Como manter uma relação saudável com equipes de campo? Afinal, como ser um bom líder de equipes externas?

Se você possui questões como essas no gerenciamento das suas equipes de manutenção, garanto que este artigo atenderá à suas dúvidas.

Entendemos que ser um bom líder não é uma tarefa fácil por ter que tomar decisões rápidas e assertivas.

Por isso, selecionei 3 características primordiais para um líder de equipes externas exemplar, para ajudá-lo a lidar melhor com as responsabilidades de um líder.

Mas antes, vamos refletir um pouco mais sobre liderança.

Como ser um bom líder?

Liderança é a habilidade de guiar um grupo de pessoas, transformando-as em uma equipe produtiva.

Para ser um bom líder, primeiramente, é preciso fazer a  escolha, se dispor a ser líder, saber de suas obrigações e deveres, as dores e as delícias desse cargo.

É muito comum, que várias pessoas desistam antes mesmo de tentar, por não acreditar que possuam as habilidades para ser um bom líder, como: espírito de liderança, foco, gestão eficiente, bons resultados, alta produtividade, entre outras.

Selecionei algumas características/dicas primordiais para um bom líder de equipes externas, para que você entenda como elas atuam no dia a dia da gestão e coloque-as em prática.

1. Transmitir segurança

Muitos líderes utilizam da nomenclatura de seus cargos para intimidar sua equipe. O famoso “mostrar quem manda” não faz parte de uma liderança eficiente.

O personagem de Game of Thrones, Tywin Lannister, ao falar da liderança necessária para um rei, nos deixa a seguinte frase: “todo homem que precise dizer ‘eu sou o rei’ não é um rei de verdade”.

Quando equipes sentem segurança no seu líder, elas possuem mais liberdade para dizer o que está incomodando, dar sugestões de mudanças nos processos, abrindo espaço para que esse líder também aprenda com sua equipe.

Essa relação de confiança é muito importante para tornar o ambiente leve e bem humorado, por isso, transmita segurança e confiança ao seu time.

Às vezes, o colaborador só deseja que seu líder preste atenção no seu esforço.

Possuir dados precisos do que seu colaborador está fazendo em campo e depois comentar com ele os pontos positivos da sua atuação, pode ser um caminho interessante para estar mais presente.

Se fazer presente ao colaborador, perguntando se ele está bem, se pode ajudar, doar um pouco do seu precioso tempo, faz com que seu colaborador se sinta valorizado e seguro.

2. Capacidade de desafiar a equipe

Lançar desafios e motivar a equipe são atribuições de um líder carismático, que possui a confiança de seus colaboradores.

O desafio que estou falando é a capacidade de instigar a equipe a procurar crescimento, seja um curso novo ou certo número de atendimentos por dia, algo que faça a sua equipe se mexer!

Para isso, é importante definir metas claras. Uma quantidade x de atendimentos, a quantidade de horas de bom funcionamento de máquinas, um maior número de visitas, enfim, defina em números para que os colaboradores saibam exatamente o que almejar.

Além, do desafio de metas, que tal desafiá-los a pensar? Sim, procurar formas de desenvolver suas habilidades profissionais, como: convidá-los a experimentar outra função por uma semana, fazer testes de aptidão para outras atividades, ou, até mesmo, usar uma nova ferramenta de trabalho.

O objetivo é manter a equipe motivada a vencer os desafios! Por isso, seja sincero, comunique suas expectativas em relação às metas e motive sua equipe a seguir sempre em frente.

3. Reconhecer o bom desempenho

Assim como é importante desafiar seus colaboradores, também é importante reconhecer o esforço deles.

Crie o hábito de fazer reuniões individuais e dar feedback do trabalho de cada um, e para isso, é imprescindível ter cuidado com a comunicação.

Principalmente quando seus colaboradores estiverem em campo. Para evitar ruídos, prefira reuniões pessoalmente.

Cuidado com as palavras ao fazer uma crítica! Elas podem ditar as formas que esse colaborador enxergará o feedback!

Se ele sai desmotivado, pode ser que o seu rendimento caia ainda mais. Porém, é importante deixar claro que seu rendimento não está satisfatório para que as mudanças aconteçam.

O bom líder sabe ouvir, entender e se posicionar diante das questões dos seus colaboradores, por isso, sua comunicação precisa ser certeira para que os feedbacks se tornem mais produtivos.

Caso você tenha dificuldades em oratória, recomendo o filme O Discurso do Rei. Nele vemos um história de superação sobre discursos, o que pode ser inspirador na sua liderança.

Ah, importante lembrar! Sempre que der um feedback, indique possíveis caminhos para a resolução dos problemas, isso pode ajudar o seu colaborador a entender as dificuldades e ganhar forças para superá-las.

Para equipes externas, propor reuniões para que os colaboradores compartilhem entre si dicas para superar as dificuldades comuns, seria muito produtivo.

Os desafios em como ser um bom líder são grandes, como você já deve ter percebido. A boa notícia é que é possível aprender a ser um bom líder.

Pode ser que algumas pessoas tenham mais facilidade em aprender a ser líder, mas a verdade é, que ninguém nasce com esse talento.

Ele é desenvolvido no dia a dia com a construção da confiança na sua equipe, na organização e também em si mesmo.

Lorrayne é redatora da Auvo, responsável por criar conteúdos que ajudem os gestores a formar uma equipe externa de alta performance.

Related Post