A manutenção predial é uma importante rotina feita em condomínios, e que deve ser levada a sério, e não vista como mais um custo. Ela engloba serviços que garantem a segurança, a conservação e a confiabilidade do edifício como um todo.

Para que ela seja eficiente, é preciso incluir serviços de preventivas e preditivas, sem desconsiderar a possibilidade de ações corretivas também.

Na correria diária, alguns desgastes podem passar despercebidos e isso pode gerar estragos catastróficos, que poderiam ser evitados com um bom gerenciamento.

Por exemplo, já imaginou se não fosse feita a inspeção em elevadores dos prédios, comerciais ou não, e ocorresse uma parada repentina ou algo pior? É para isso que a manutenção predial é necessária, prever antes que aconteça.

Sabendo da importância de ter uma boa eficiência nessa manutenção, bem como não haver falhas ou erros, no artigo de hoje você vai descobrir como chegar a essa solução. Vamos lá?

Como os serviços de manutenção predial podem ser aplicados?

São vários os serviços de manutenção predial que englobam atividades de edificações, segurança, instalações elétricas, etc.  

Esses serviços incluem uma série de atividades separadas entre as ações preventivas e a de reparos. E são essenciais para que se tenha as condições necessárias de limpeza, conservação e, principalmente, segurança do prédio.

Supervisionar bem esse tipo de manutenção pode ser feita a partir de uma boa gestão de manutenção, com um processo para checar periodicamente os recursos, ativos e as instalações.

A manutenção predial, se feita de forma correta e recorrente, evita reparos emergenciais, que são mais caros e aceleram os desgastes. Por esse motivo, deve ser feito preventivamente.

Por isso, a realização dessa manutenção não deve ser confundida com a manutenção emergencial, que além de gerar muito mais custos, pode ter consequências irreversíveis.

O melhor a se fazer é apostar em uma manutenção predial preventiva, pois é a estratégia que gera menos custos, visando maior durabilidade e disponibilidade dos recursos.

Mas então essa manutenção pode reduzir custos?

Sim, uma boa manutenção reduz custos!

A manutenção predial está relacionada com a redução de custos por diversos motivos e oferece essa redução em vários aspectos aplicáveis.

A sua primeira relação com a redução de custos é que: consertar qualquer problema, por menor ou maior que seja, sai muito mais caro.

Imagine, por exemplo, que há problemas na parte elétrica. Trocar apenas um dos fios, certamente, sairá mais barato do que substituir uma fiação inteira por conta de algum curto-circuito que não foi previsto.

Da mesma maneira, é mais barato corrigir problemas hidráulicos do que lidar com infiltrações, rachaduras e até o comprometimento da estrutura.

Não menos importante, há a questão da segurança das pessoas e do prédio como um todo. Sem a manutenção predial o risco se torna inerente, especialmente para os colaboradores.

Sendo assim, caso acidentes aconteçam, a empresa terá que arcar com várias despesas que poderiam ser evitadas. Com um bom processo preventivo, as chances de haver uma ocorrência diminuem consideravelmente.

Falando em manutenção predial, pode parecer que o gasto é bem maior. Porém, se há uma previsão orçamentária, é possível saber, de antemão, o quanto será gasto e se programar para isso. Afinal, com uma parada não programada, o custo é bem maior.

Se você não faz a manutenção preventiva, as corretivas custarão bem mais caro, sendo que é muito mais difícil você corrigir algum problema, do que manter o ativo sempre em bom funcionamento. Pense nisso!

E como fazer esse planejamento?

Um dos maiores desafios dos gestores de manutenção predial é justamente equilibrar a execução das manutenções, contando com a durabilidade, disponibilidade e a confiabilidade dos equipamentos, juntamente com custos mais baixos e acessíveis.

Para que isso aconteça, é necessário ter um bom plano de atuação, que servirá como orientação para que a equipe desempenhe a função adequadamente.

Neste sentido é preciso ter por trás da gestão um bom planejamento de manutenção predial.

A execução desse plano é mais complexo do que o que irei apresentar abaixo, mas, se você deseja conhecer os primórdios e começar o quanto antes, recomendo que entenda esse passo a passo:

Introdução ao plano de manutenção predial  

Comece considerando quais são os pontos mais relevantes que precisam de atenção. Dentre esses pontos, os custos não podem ficar de fora, afinal, é preciso identificar se o custo que você tem é maior do que a quantidade de recursos à sua disposição.

Sendo assim, é preciso criar um histórico de toda a manutenção predial feita. A Ideia é ter dados relevantes para a sua gestão e para equipe, sabendo como lidar com o problema.

Diante disso, fica muito mais fácil planejar as próximas manutenções, além de ser necessário menos tempo.

Sabendo de todas as manutenções e o que se refere a elas, é hora de elaborar um plano de manutenção predial detalhado, evitando o retrabalho e propiciando bons resultados.

Nele é preciso definir todos os locais e elementos que precisam passar por manutenção e como ela deve ser feita, bem como os prazos entre cada manutenção.

Uma manutenção preventiva de reparação em elevadores deve ser feita, por exemplo, com o intervalo mínimo de dois meses. Já uma manutenção de conservação pode ser feita semanalmente ou quinzenalmente.  

Dessa maneira, basta se lembrar sempre de analisar os resultados e otimizar os planejamentos.

Com a análise, você pode chegar a conclusão de que, por exemplo, pode ser necessário diminuir o tempo entre inspeções em um determinado ponto ou utilizar novas técnicas.

Portanto, é preciso aplicar um bom planejamento de manutenção predial, visando encontrar falhas e aumentar a produtividade para que nenhum esforço seja perdido. Preparado?

Isadora é redatora da Auvo, responsável por criar conteúdos ricos para ajudar gestores de todo o Brasil a aumentar a produtividade das suas equipes de campo.