Arquivos manutencao preditiva - Auvo - Plataforma de Gestão de Equipes Externas
Manutenção preditiva, preventiva e corretiva: entenda a diferença entre elas!

Manutenção preditiva, preventiva e corretiva: entenda a diferença entre elas!

É muito importante saber a diferença da manutenção preditiva, preventiva e corretiva e, além disso, quando usar cada uma delas.

Uma empresa, quando trabalha com prestação de serviços, não pode deixar de dar atenção especial para as manutenções.

A ideia é economizar e reduzir custos, para que a sua empresa gaste apenas com bons investimentos e não em erros que podem ser previstos.

Acompanhar frequentemente o funcionamento de máquinas, equipamentos e peças é um método muito eficaz para prevenir possíveis interrupções nas linhas de produção.

Assim, é possível notar como a gestão da manutenção é importante. E para que ela aconteça de forma eficaz, é necessário entender a diferença entre manutenção preditiva, preventiva e corretiva.

Se você possui essa dúvida, basta continuar lendo esse artigo!

Tipos de manutenção

É muito importante entender como as manutenções se dividem, para que o gestor não erre e saiba qual é a melhor a ser aplicada, no momento e no equipamento correto.

Na figura abaixo, temos a seguinte estrutura:

Os tipos de manutenção podem se dividir em:

  • Manutenção Planejada, que se subdivide em preditiva, preventiva e corretiva;
  • Manutenção Não Planejada.

Para que não fiquem dúvidas, vou te explicar quais são os tipos de manutenção na prática e qual a diferença entre elas.

Manutenção Preditiva

A manutenção preditiva é o acompanhamento periódico de equipamentos ou máquinas, através de dados coletados por meio de inspeções.

As técnicas mais comuns utilizadas para manutenção preditiva podem ser: análise de vibração, ultrassom, inspeção visual e outras técnicas de análise não destrutivas.

Trata-se de um processo que diz o tempo de vida útil dos componentes das máquinas e equipamentos e as condições para que esse tempo de vida seja bem aproveitado.

Ela pode ser comparada a uma inspeção para acompanhar as condições dos equipamentos.

Os objetivos em fazer a manutenção preditiva, são:

  • Determinar, antecipadamente, a necessidade de manutenção de uma peça, ferramenta ou máquina;
  • Eliminar desmontagens desnecessárias para inspeção;
  • Aumentar o tempo de durabilidade dos equipamentos;
  • Reduzir o trabalho de emergência não planejado;
  • Impedir o aumento de danos.

Por meio desses objetivos, é possível concluir que a manutenção preditiva possui uma finalidade maior: reduzir custos de manutenção e aumentar a produtividade dos colaboradores.

Manutenção Preventiva

A manutenção preventiva tem como objetivo principal a prevenção de uma falha ou quebra no equipamento, além de diminuir a velocidade de desgaste das máquinas e aparelhos.

Logo, ela é uma intervenção prevista, preparada e programada antes do surgimento de uma falha.

Os serviços de manutenção preventiva devem ser planejados e programados, ou seja, todas as etapas do serviço a ser executado devem estar bem definidas.

Alguns exemplos de manutenção preventiva são:

  • lubrificações periódicas;
  • as revisões sistemáticas do equipamento;
  • os planos de calibração e de aferição de instrumentos;
  • os planos de inspeção de equipamentos;
  • os históricos ou recomendações do fabricante.

A manutenção preventiva também pode ser executada em função da condição do equipamento, como para reparar defeitos, reformas ou revisão geral.

Manutenção Corretiva

Como o próprio nome diz, ela serve para corrigir uma falha.

A manutenção corretiva acontece quando o equipamento já está com alguma peça irregular, apresentando mal funcionamento, e ela precisa ser substituída.

Essa manutenção pode ser necessária em duas situações: quando surge uma falha inesperada, ou então quando é detectada alguma falha que possa levar a algum problema maior futuramente.

Logo, podemos dividir a manutenção corretiva em dois sub-tipos: a corretiva planejada e a corretiva não planejada.

A manutenção corretiva planejada, nada mais é do que o acompanhamento de uma máquina, com finalidade de corrigir algum erro que virá a aparecer. Tudo aqui é planejado.

A manutenção corretiva não planejada, acontece após a identificação de algum erro ou problema. Esse tipo de manutenção implica em custos altos, em relação a manutenção corretiva planejada.

Porém, a manutenção corretiva pode ser usada também como uma forma eficiente de evitar o retrabalho, afinal, ela diminui o tempo de execução da tarefa e evita quebras de produção inesperadas.

Diferenças entre manutenção preditiva, preventiva e corretiva

Agora que você aprendeu quais são os tipos de manutenção e como aplicá-las da melhor maneira na sua empresa, vou te explicar a diferença entre cada uma delas.

E, assim, não haverá mais dúvidas. Vamos lá?

Manutenção Preventiva x Corretiva

Sabemos que a manutenção corretiva é realizada normalmente após a ocorrência de uma falha ou incapacidade produtiva de um equipamento ou instalação.

Uma porcentagem significativa desses danos pode ser evitado se o gestor de manutenção levar em consideração a manutenção preventiva desses equipamentos.

A manutenção corretiva possui maior impacto financeiro do que a manutenção preventiva.

Uma vez que pode implicar a suspensão prolongada da atividade das máquinas e equipamentos, podendo mesmo levar à indisponibilidade de uma linha de produção, ou outro serviço.

A principal vantagem de ter um plano de manutenção preventiva é poder prevenir todas essas situações, substituindo os componentes usados no prazo certo, preservando e restaurando todas as peças necessárias.

Para isso, o gestor deve organizar em uma planilha, ou em outra ferramenta, as principais métricas e informações que ele precisa acompanhar para realmente conseguir executar um ótimo planejamento:

  • Melhorar o estado técnico e operacional dos equipamentos;
  • Reduzir a degradação e os riscos de degradação dos equipamentos;
  • Programar os trabalhos de prevenção;
  • Realizar os reparos em condições favoráveis à operação;
  • Reduzir custos;
  • Prolongar a vida dos equipamentos.

Um plano de manutenção preventiva é ideal quando o gestor de manutenção consegue evitar qualquer defeito nos seus equipamentos, ou consegue prever e programar para que essa falha tenha o menor impacto possível no cliente.

Manutenção Preventiva x Preditiva

A manutenção preventiva, como já falamos, é programada e ocorre em um tempo pré-determinado, permite a identificação precoce de problemas, reduz as necessidades de despesas e permite um melhor planejamento dos orçamentos.

Na manutenção preditiva os programas são baseados no estado real do equipamento e na determinação de quando a manutenção deve ser realizada para minimizar os custos.

A diferença é que a preditiva faz uso de técnicas e equipamentos como ultra-som e câmeras termográficas, que fazem a manutenção preditiva ser uma alternativa viável em determinadas circunstâncias.

Manutenção preditiva x corretiva

O problema de contar apenas com a manutenção corretiva, é que, com o equipamento ou veículo estragado, a empresa deixará de ter lucros durante o tempo em que ele permanecer inativo para reparos.

Já a manutenção preditiva vem para prevenir isso, juntamente com a preventiva.

Ela vai mostrar ao técnico onde está a falha ou onde pode ocorrer especificamente, pois utiliza de técnicas, como ultrassons, análise de vibrações, entre outros, como citado anteriormente.

Quando se faz a gestão da manutenção, claramente, o trabalho será um pouco mais intenso para todos, mas os resultados com certeza serão potencializados.

No final de tudo, a manutenção preditiva, preventiva e corretiva são essenciais para a execução de um bom trabalho tanto da equipe quanto do gestor.

Isadora é redatora da Auvo, responsável por criar conteúdos ricos para ajudar gestores de todo o Brasil a aumentar a produtividade das suas equipes de campo.

Plano de manutenção preventiva: 6 passos para fazer o seu

Plano de manutenção preventiva: 6 passos para fazer o seu

Uma das maiores dúvidas de qualquer gestor técnico é como montar um plano de manutenção preventiva.

Se você quer reduzir os custos operacionais da sua empresa e lucrar ainda mais com a sua equipe de técnicos, veja como um plano de manutenção preventiva pode ajudar!

Indispensável em empresas que prestam serviços, um plano como esse necessita de ajustes e cuidados específicos constantementes, dessa maneira é necessário que seja bem elaborado.

Eventualmente, as máquinas e equipamentos sofrem degradação ao longo do tempo, mas com uma ação preventiva é possível manter os equipamentos funcionando por mais tempo.

Dessa maneira, separei 6 passos para você fazer o seu plano de manutenção preventiva de forma eficiente. Vamos lá?

1. Levantamento de informações

O primeiro passo é fazer um levantamento de todas as máquinas funcionando, histórico de troca de peças e a quantidade de atividades que já foram feitas.

Mensure quais são as ocorrências mais comuns encontradas nos equipamentos que apresentam defeitos em longo prazo.

Verifique quais são os aparelhos vitais e que não podem, de maneira alguma, ficarem parados por falta de manutenção ou poderão comprometer todo o ciclo produtivo e técnico da empresa.

Isso traz um parâmetro do estado de cada equipamento, além de ajudar a definir inicialmente as prioridades dos chamados técnicos e onde avaliar os possíveis problemas.

As informações dos últimos 12 meses são essenciais para definir quais máquinas receberão os primeiros atendimentos.

Dessa maneira, você poderá verificar as estatísticas e perceber padrões, como por exemplo, de quanto em quanto tempo é preciso repor uma peça ou fazer a lubrificação de uma determinada máquina

2. Criação do Checklist de Manutenção

O objetivo do checklist de manutenção é criar um procedimento de verificação do estado de cada equipamento após a intervenção, seja ela preventiva ou corretiva.

Isso mostra que todos os passos foram dados para que as informações fiquem armazenadas de maneira segura e que os procedimentos foram feitos para garantir a qualidade.

Os checklists de manutenção ajudarão na elaboração do seu plano de manutenção preventivo mais sólido, para que as máquinas mantenham o funcionamento com excelência e qualidade.

Os checklists mais comuns são os de: Mecânica, Lubrificação, Elétrica e Segurança.

Checklist Mecânico

Normalmente é feita uma avaliação minuciosa de cada item mecânico do equipamento, como a verificação de cabos, correias, mangueiras etc.

Checklist da Lubrificação

Em geral, é analisado se todos os itens foram devidamente lubrificados e os produtos armazenados nos recipientes corretos.

Checklist Elétrico

Acompanhamento de toda a parte elétrica do aparelho. São feitas vistorias dos painéis, fontes e cabos de energia para verificar se tudo está em ordem.

Checklist de Segurança

É observado se todas as normas de segurança foram devidamente cumpridas e se não ficou nenhum tipo de material que ofereça risco ao equipamento ou as pessoas.

Dessa maneira, se faz necessário que cada item do checklist de manutenção seja confirmado com fotos e legendas, para que não se confunda ou se perca quando o plano de manutenção preventiva for elaborado.

3. Verificação dos custos

Na terceira etapa é feito o orçamento do plano e custos. É preciso que ele contemple todos os gastos que serão necessários para a execução do projeto.

Aqui devem ser contabilizados os materiais e peças a serem utilizados, possíveis contratações de novos profissionais para execução e softwares de gestão.

Inicialmente, a estrutura de custos de uma equipe de manutenção preventiva é feita seguindo uma ordem:

  1. Equipe necessária para execução das intervenções
  2. Materiais necessários para reparo de eventuais máquinas
  3. Encargos trabalhistas
  4. Softwares usados no controle do projeto

É muito importante manter a rentabilidade do projeto para que o processo seja lucrativo e eficiente.

Ou seja, mesmo que o objetivo seja reduzir custos, optar por peças extremamente baratas, mas sem qualidade, pode causar problemas no futuro e é exatamente isso que você quer evitar com um plano de manutenção preventiva, não é?

Dessa maneira, um dos principais pontos de custo são os colaboradores, afinal, eles precisam de treinamento e comprometimento para que a operação seja feita da forma correta.

Verifique sempre a realidade financeira da sua empresa e crie o orçamento que leve em consideração os valores disponíveis para o seu setor.

4. Definição de um cronograma

Com a aprovação do planejamento e o orçamento proposto, está na hora de definir o cronograma.  

Defina a frequência com que cada revisão e manutenção deverá acontecer e divida isso pelo número de colaboradores que você vai alocar.

Dessa maneira, você consegue uma média de quantas vezes, durante um ano, por exemplo, você precisará fazer a revisão da máquina e quantos colaboradores serão necessários.

O motivo disso é que muitas empresas utilizam os mesmos técnicos para efetuar atendimentos corretivos e preventivos.

Mas com um prazo muito curto você tem pouco tempo para se planejar e evitar eventuais problemas, até mesmo com a rotatividade de colaboradores.

Lembre-se de aumentar a quantidade de visitas para os equipamentos com maior volume e tempo de uso.

Dessa maneira, o seu plano de manutenção preventiva fica muito mais eficiente e as manutenções e revisões previsíveis.

5. Acompanhamento de cada atividade

Controlar cada atividade no campo é fundamental para que a execução seja feita de forma correta.

Defina um padrão de relatório com cada checklist, fotos, horários de chegada e de saída do local e estabeleça um nível mínimo de qualidade.

Também é indispensável conversar com os colaboradores que operam esses aparelhos para saber mais sobre as necessidades de manutenção e perceber quais são os primeiros indícios de problemas e erros.

Por isso, ouví-los e acompanhar as suas atividades de manutenção são essenciais.

6. Estruture os KPI’s de produtividade

Indicadores chaves de performance são fundamentais na execução do plano de manutenção.

São esses dados que vão te mostrar se o projeto está no caminho certo ou se são necessários ajustes.

Por isso, separei os principais indicadores para a manutenção preventiva, são eles:

Tempo médio do atendimento

Sabendo o tempo médio de atendimento, você consegue estimar quantas pessoas são necessárias na equipe, qual o grau de precisão do técnico e consegue aumentar a qualidade do trabalho, a partir de treinamentos.

Intervalo entre reparos

Medindo a quantidade de reparos que são feitos em um determinado tempo na máquina, você consegue estimar a quantidade de peças e materiais que serão gastos nos próximos períodos.

Isso te ajuda a ter um orçamento mais conciso e real.

Rentabilidade por máquina

Se você possui contratos de manutenção e fornecimento de equipamento, esse KPI te ajuda a medir o faturamento por máquina, eliminando os custos de manutenção.

Fique sempre muito atento a isso!

Cumprimento do cronograma

Cumprir o cronograma é fundamental para que o processo seja feito com qualidade.

Verifique a quantidade de vezes que o cronograma foi alterado e a capacidade de acompanhamento dele.

Isso te ajuda a ter um plano de manutenção preventiva mais sólido!

Considerações Finais

O plano de manutenção preventiva é uma medida que, além de trazer mais segurança e qualidade para o trabalho dos seus técnicos, funciona como uma importante decisão estratégica para a redução de custos operacionais em uma empresa.

Aplicando esse planejamento, você determina os gastos com manutenção e programa seus custos com mais precisão e aceitabilidade.

E então, deu para entender a importância de um plano de manutenção preventiva e como aplicá-lo para obter alta performance em seus equipamentos?

Um plano de manutenção preventiva é fundamental. Por isso, esperamos ter ajudado você a ter um caminho para elaborar o seu! 🙂

Isadora é redatora da Auvo, responsável por criar conteúdos ricos para ajudar gestores de todo o Brasil a aumentar a produtividade das suas equipes de campo.

Gestão da manutenção: por que e como fazer?

Gestão da manutenção: por que e como fazer?

Sabe aquele velho ditado que diz “é melhor prevenir, do que remediar”? Basicamente é por isso que a gestão da manutenção na sua empresa deve ganhar atenção.

Ao invés de ser pego de surpresa com algum erro ou problema que prejudicará o trabalho e a produtividade dos colaboradores, você monitora toda a estrutura para que ela aconteça corretamente.

Afinal de contas, antecipar-se ao surgimento de problemas é o principal caminho para contar com uma manutenção sem falhas e garantir mais lucro para a empresa.

Pensando nisso, fiz esse artigo para te mostrar a importância da gestão da manutenção e como fazer para que ela aconteça corretamente. Vamos aprender?

O que a gestão da manutenção significa para a sua empresa?

Primeiramente, é importante você saber que a gestão da manutenção nada mais é do que supervisionar regularmente o funcionamento de máquinas, equipamentos, instalações etc.

Quando isso acontece, problemas como: paradas obrigatórias por conta de equipamentos quebrados ou desperdício de dinheiro em procedimentos de manutenção pouco eficientes são evitados.

Um dos principais objetivos de gerenciar a manutenção na sua empresa é que você programa o trabalho de forma eficiente, a fim de controlar os custos e garantir que o serviço seja de qualidade.

Quando a sua empresa não faz a gestão da manutenção se depara com diversos problemas, como:

  • Aumento de custos com o maquinário, ferramentas e manutenção;
  • Queda no lucro;
  • Aumento do risco de acidentes de trabalho;
  • Insatisfação dos clientes por conta, por exemplo, do atraso na entrega do trabalho;
  • Atraso nas produções.

O maior contratempo de empresas que não praticam as manutenções regularmente é se prontificar a fazer algo apenas quando há uma manutenção de emergência, o que gera um custo muito mais elevado.

Sendo assim, o principal motivo para que a gestão da manutenção seja aplicada na sua empresa é a garantia de que os processos estejam sempre funcionando e a sua equipe se mantenha focada e produtiva.

Os tipos de manutenção

Como agora você sabe a importância de gerir a manutenção da sua empresa, é importante conhecer os principais tipos de manutenções.

Os termos podem parecer confusos por serem parecidos, mas você vai ver que na prática não é bem assim.

A Manutenção Planejada se divide em: Preventiva, Preditiva e Corretiva:

Manutenção Preventiva

É aquela feita para reduzir e evitar falhas no equipamento.

Ela envolve tarefas como: inspeções e substituições de peças, ou reformas das máquinas. Ela também ajuda a monitorar o desgaste natural dos equipamentos. Ou seja, a sua empresa fica prevenida.

Manutenção Preditiva

Esse tipo de manutenção é feita como medida para analisar, através de dados ou instrumentos específicos, o desempenho de cada máquina ou equipamento.

Esses dados ajudam a prever a deterioração dos equipamentos, o que possibilita a antecipação de possíveis falhas que podem prejudicar o funcionamento.

Manutenção Corretiva

Como o próprio nome já diz, ela serve para corrigir alguma falha.

Uma vez que a falha é esperada, ela se torna essencial para que já seja possível planejar os recursos necessários e corrigir antes que aconteça.

Esse tipo de manutenção pode ser adotada por diversos fatores positivos, principalmente para:

  • Possível parada repentina de trabalho da equipe;
  • Mais segurança para a empresa e para o colaborador;
  • Melhorar o planejamento dos serviços.

Ficou curioso para saber mais sobre os tipos de manutenção? Nós temos um material que explica quais as diferenças entre elas, basta clicar aqui para aprender mais!

Agora que você já sabe como e o porquê de fazer a gestão da manutenção, vou te explicar as vantagens em gerir as manutenções como parte importante na sua empresa e como isso te ajuda com a redução de custos!

Vantagens em gerir a manutenção

Entender a teoria sobre o que é a gestão da manutenção e como fazer com que a gestão tenha excelência, não é algo totalmente difícil.

O mais importante é entender a dimensão da importância desse processo para empresas, como a sua.

Por isso, resolvi finalizar esse artigo listando as vantagens em gerir a manutenção para que você comece agora mesmo, otimize os seus processo e lucre ainda mais!

1. Eficiência no trabalho

A gestão da manutenção é essencial para o sucesso e a eficiência no trabalho de qualquer colaborador e empresa, afinal, manutenções mal organizadas podem atrasar a sua empresa e seus colaboradores.

Por exemplo, já pensou no tempo em que o seu colaborador vai gastar corrigindo o problema de uma máquina grande ao invés de se dedicar ao que realmente importa?

Com um bom planejamento dos processos da empresa, o trabalho do seu colaborador, e o seu também, se torna ativo e eficaz!

2. Melhorar o agendamento de tarefas

Imagine só: sua empresa necessita de uma máquina de transporte para transportar os produtos para o caminhão, por exemplo, mas as duas estão necessitando de manutenção.

E agora?

Bom, quando você faz a gestão da manutenção das suas máquinas eficientemente e fica por dentro dos prazos, consegue priorizar as manutenções mais importantes, e exemplos como esses podem ser evitados.

O agendamento de tarefas pode ficar muito mais fácil quando você fica por dentro dos processos e as atividades que os seus colaboradores precisarão executar. 

3. Controle de custos

Quando você tem uma boa gerência da manutenção na sua empresa, os custos são claramente reduzidos.

Afinal, você conta com um processo muito mais transparente, no qual pode prevenir uma manutenção, evitando erros e estragos.

A manutenção preventiva é um bom exemplo de como isso acontece e como os custos podem ser reduzidos ao ser aplicado.

Como você pôde ver, a gestão de manutenção na sua empresa é extremamente importante e eficaz!

E é importante começar a implementar as dicas na sua empresa, já que você está por dentro do assunto e já sabe como fazer.

Não perca mais tempo, tampouco dinheiro, e controle os seus custos.

Mas lembre-se de sempre buscar maiores informações para realizar essa melhoria na sua empresa de forma segura e eficaz!

Agora que você já sabe tudo sobre gestão de manutenção e como aplicar na sua empresa, o que está esperando para oferecer mais eficiência para os seus colaboradores e agradar os seus clientes?

Isadora é redatora da Auvo, responsável por criar conteúdos ricos para ajudar gestores de todo o Brasil a aumentar a produtividade das suas equipes de campo.