Dois dos principais indicadores de manutenção de ativos em uma empresa são o MTBF e  MTTR. Por serem parecidos em nome, alguns ainda confundem as suas funcionalidades.

Os dois são responsáveis por monitorar e aperfeiçoar os resultados das organizações, permitindo, a partir do número obtido pelo cálculo do MTBF e MTTR, calcular outros indicadores.

Você, como gestor, quer sempre alcançar as metas, correto? E, para atingi-las, é importante fiscalizar de perto os indicadores.

Pensando nessa importância, esse artigo veio para sanar todas as suas dúvidas sobre essas duas métricas e como elas podem ser usadas para aperfeiçoar os processos da sua empresa.

O que são MTBF e MTTR e quais as diferenças?

É muito importante que você entenda bem a diferença entre essas duas siglas e as suas funcionalidades para que não haja confusão ao medir e calcular os seus resultados.

O MTBF e MTTR são dois indicadores relacionados diretamente com a disponibilidade dos ativos, ou seja, com eles você consegue saber por quanto tempo uma máquina continuará funcionando por um determinado tempo.

Apesar de serem métricas importantes no setor de manutenção, muitos gestores ainda os subestimam e não fazem as medições corretas. Entenda mais sobre cada um e veja como eles podem, e são, importantes na sua gestão.

Cálculo de MTTR

O MTTR (mean time to repair ou tempo médio para reparo) corresponde ao prazo médio que demora para realizar uma correção depois da eventualidade, o erro. Ou seja, é o tempo gasto durante a intervenção em um determinado processo.

O MTTR é calculado aplicando a média de tempo que demora para desempenhar uma reparação após a falha. Seu cálculo é feito da seguinte forma:

Mas se você quer uma forma mais dinâmica de como calcular essa métrica, nosso Head de vendas, Felipe Campos, ensina como fazer o cálculo de MTRR de forma prática e rápida, confira abaixo:

Cálculo de MTBF

O MTBF é a métrica que se refere à média de tempo transcorrido entre uma irregularidade e a próxima que virá a acontecer.

Para o seu cálculo devemos aplicar o tempo total do desempenho natural do ativo, sobre o número de erros ocorridos durante esse tempo. Veja a fórmula:

Para te ajudar a entender na prática como se calcula o MTBF, assista o vídeo abaixo:

Afinal, quais são as diferenças?

É muito importante lembrar que estamos lidando com os ativos de uma empresa, bem como instalações, sistemas, equipamentos, máquinas e ferramentas, e como qualquer outro, estão dispostos a falhas e precisarão de reparos.

Enquanto o MTBF mede a confiabilidade de um sistema, o MTTR indica a eficiência da ação corretiva. Com os dois em mãos e monitorados de perto, podemos definir o que precisa de mais atenção.

Com eles, conseguimos ampliar o conhecimento da empresa sobre seus processos. Ou seja, cada um desempenha uma função diferente dentro de uma manutenção e são usados de forma distintas em primeiro plano, e em conjunto a partir da obtenção dos números.

Mas calma, falaremos mais sobre como utilizá-los em conjunto para medir outras métricas e ter mais dados em mãos. Por isso, fique conosco!

Quais os benefícios ao usá-los?

O MTTR e o MTBF fazem parte de uma série de indicadores que são utilizados a mais de 60 anos como ponto de referência para a tomada de decisão de forma assertiva.

Como você viu, enquanto o MTBF mede a confiabilidade de um sistema, o MTTR aponta a eficácia da ação reparadora.

Ou seja, tendo o controle dos dois indicadores e os monitorando de perto, pode se estabelecer o que necessita de mais atenção e quais são as máquinas que estão prestes de necessitar de uma manutenção.

Se o MTBF aumentou após um processo de manutenção preventiva, isso indica uma clara melhoria na qualidade de seus processos e, provavelmente, em seu produto final, por exemplo.

O que também indica que os seus métodos de manutenção estão a todo vapor e a verificação das manutenções estão sendo bem executados, obtendo um norte para as equipes.

Porém, se o MTTR também está alto, isso não é algo tão positivo. É necessário diminuir o número do MTTR e não aumentá-lo.

Um menor tempo médio de reparo indica que sua empresa terá respostas rápidas para problemas em seus processos, o que demonstra alto grau de eficiência!

Busque sempre essa diferença!

Quais indicadores podem ser analisados juntos?

Como você pode ver, os dois indicadores são essenciais na busca do ampliamento do conhecimento sobre a empresa e os seus processos, a fim de reduzir custos e aumentar a produtividade ou a qualidade dos produtos oferecidos.

Esses desafios de gerenciamento podem ser reduzir com uma sequência de passos que tragam informações relevantes sobre a sua empresa e os equipamentos.

Por isso, a partir dos números obtidos com o MTBF e MTTR, é possível analisar outras métricas, confira:

O cálculo do tempo de disponibilidade envolve os números encontrados a partir do  MTBF e MTTR. Podemos chegar ao tempo de disponibilidade de um sistema, por exemplo, utilizando esses 2 KPIs. Vamos à fórmula:

Com os números em mãos, é possível adotar uma sequência de passos que tragam informações relevantes e confiáveis.

Levando em conta que, em boa parte das empresas, as equipes de manutenção são reduzidas e atendem várias áreas simultaneamente, acompanhar os dois indicadores, MTBF e MTTR, é necessário.

Ao utilizá-los, torna-se possível identificar certas falhas por padrão e qual o impacto, em tempo da pausa, para esses casos. De forma que se torne possível entender a raiz do problema, ou se é um caso isolado.

A diminuição do tempo de inatividade (ou downtime, como é mais conhecido), também se dá a partir dos cálculos. Afinal, é nesse instante que se torna conhecido qual o ativo mais traz impasses para que se possa corrigir ou trocá-lo.

Obs: Para saber se é a hora, ou não, de fazer a troca de um ativo, ou se é mais compensável apenas realizar a manutenção, se utiliza do cálculo do custo de manutenção por ERV. Falamos mais sobre ele neste artigo!

Outra vantagem no uso desses indicadores é a possibilidade de elaborar um processo de manutenção preditiva.

De que forma? Bom, sabemos que a manutenção preditiva é o acompanhamento periódico dos ativos, através de dados coletados por meio de inspeções.

Esses dados também são concedidos através dos indicadores de manutenção, sabendo exatamente sobre as falhas e aumentando o tempo de funcionamento da máquina!

Recapitulando: O MTBF refere-se essencialmente à credibilidade de um sistema, e o MTTR à efetividade nas operações corretivas do sistema. Não se esqueça!

Agora que você já sabe a diferença entre o MTBF e MTTR, e como esses indicadores podem te ajudar, está na hora de aplicá-los para servir como referência para tomada de decisões. Aproveite!

Isadora é redatora da Auvo, responsável por criar conteúdos ricos para ajudar gestores de todo o Brasil a aumentar a produtividade das suas equipes de campo.